Proteger a Democracia na Era Digital

No dia 29.05.2019, realizou-se na Universidade Lusófona a “Ralf Dahrendorf Round Tables: Proteger a Democracia na Era Digital”. O evento foi organizado pelo European Liberal Forum, pelo  Movimento Social Liberal, em parceria com o CIPES, tendo contado com os apoios da Friedrich Naumann Foundation, Republikon Foundation e da FCT.

Após a abertura do evento, o Professor João de Almeida Santos, na qualidade de Director da Faculdade de Ciências Sociais, Educação e Administração (FCSEA) e Presidente da Direção do CIPES, proferiu uma intervenção de abertura na qual fez um enquadramento global do tema, centrando-se na ideia de que a política e a democracia representativa estão a conhecer uma profunda mutação estrutural que não só deve ser reconhecida, mas também metabolizada pelas formações políticas. A sua comunicação centrou-se nos efeitos do digital e, em particular, das redes sociais sobre as relações entre a cidadania e o sistema de partidos. Embora reconhecendo que há ameaças digitais à democracia (veja-se o caso da Cambridge Analytica, Trump e o Brexit), o Professor defendeu uma posição optimista, ou seja, a que reconhece mais virtudes do que defeitos nas relações entre o digital e a política.

O tema, “Proteger a democracia na era digital”, tão importante para o futuro das nossas democracias, foi desenvolvido pelos conferencistas a partir de três perpectivas: 1) a democracia na era digital; 2) ameaças digitais à democracia; 3) como avançar com a democracia na era digital.Participaram Luís Menezes (Presidente do MSL – PT), Elisa Lironi (European Citizen Action Service – Bélgica), Tyson Barker (Aspen Institut Germany), Miguel Duarte (MLS – PT), Nadia Kovalcikova (Alliance for Securing Democracy – Bélgica), Ricardo Silvestre (MSL – PT), Vasco Rato (ULHT), Raquel Patrício Gomes (Comissão Europeia – Portugal), Milosz Hodum (Projekt: Polska – Polónia) e Andrea Virag (Republikon Institut – Hungria).